FENASCE reivindica participação nas discussões sobre o “Novo modelo de financiamento da APS”



O presidente da FENASCE Luís Cláudio, acompanhado de seus diretores executivos Fernando Cândido e Ilze Mendes foram ao Conselho Nacional de Saúde, na tarde desta quarta feira (04), onde conversaram com o presidente do CNS Fernando Zasso Pigatto, para falar dos prejuízos que a Atenção Primária à Saúde sofrerá com o novo modelo de financiamento proposto.


Logo após, os representantes da Categoria seguiram para a Câmara Federal, lá estiveram com o deputado federal e ex-ministro da saúde Alexandre Padilha que é o autor do projeto de decreto legislativo para sustar a portaria que instituiu o novo modelo de financiamento da Atenção Primária à Saúde apresentado pelo governo que irá substituir as principais formas de financiamento da Atenção Básica.


Os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias são considerados a porta de entrada do SUS, por desempenharem atividades nas comunidades, com visitas domiciliares Promovendo Saúde e Prevenindo doenças. Por isso, é fundamental que haja ampliação e a inclusão das representações da classe nas discussões da proposta do novo financiamento.


A proposta tem como objetivo o aumento do cadastro de novas pessoas, sem considerar a Realidade das condições de trabalho para prestação dos serviços. Hoje o número de Agentes |Comunitários de Saúde é insuficiente para cadastrar toda a população, é grande a quantidade de áreas descobertas, em alguns municípios o sistema não é online ou se quer os Agentes receberam os tablets.


Com tudo, a FENASCE reivindica do governo o espaço para participar das discussões sobre a proposta de novo modelo financiamento, visando a melhoria na prestação do serviço à população.


Veja o vídeo a FENASCE com o

Deputado Federal Alexandre Padilha - Ex ministro da Saúde: